Os CFDs são instrumentos complexos e apresentam um alto risco de perda rápida de dinheiro devido à alavancagem. 81.7% das contas de investidores de varejo perdem dinheiro ao negociar CFDs com esse provedor. Você deve considerar se entende como os CFDs funcionam e que pode correr o alto risco de perder seu dinheiro.
Trading

Seu guia de dicas para operar durante a inflação e o aumento das taxas de juros.

Pepperstone
Trading Guides
17 de ago. de 2023
Períodos de alta inflação e taxas de juros apresentam desafios únicos - e alguns mercados têm melhor desempenho do que outros. Mas como compará-los entre si? Analisamos os dados e observamos o desempenho de ações, forex, índices, ouro e criptomoedas em momentos de alta inflação e taxas de juros, bem como os prós e contras de operar e investir em cada um deles.
Preview
Preview

Inflação e forex

A primeira coisa a lembrar sobre o mercado de forex é que é enorme, com trilhões de dólares passando pelo mercado mundial de câmbio todos os dias. Portanto, as mudanças em coisas como a inflação ou as taxas de juros não diminuem realmente o mercado de forex, mas sim mudam seus ritmos e fluxos.

Em nível global, a inflação inesperada pode aumentar a volatilidade no mercado de câmbio, à medida que mais pessoas especulam sobre o que isso significará para o valor das moedas. Isso pode levar a um aumento temporário na atividade no mercado de câmbio. Em nível nacional, a inflação e o aumento das taxas de juros podem afetar a taxa de câmbio e a competitividade de uma moeda no cenário global, já que coisas como os preços ao consumidor, o gasto em infraestrutura e os empréstimos para grandes empresas se tornam mais caros. Isso não seria bom para a própria moeda do país, mas não prejudicaria o mercado de câmbio - na verdade, provavelmente levaria a mais especulação sobre essa moeda no mercado.

Se as taxas de juros aumentarem especificamente, um país pode se tornar mais atraente globalmente para investidores estrangeiros, devido à chance deles ganharem mais juros em investimentos lá. Isso pode levar a uma maior demanda pela moeda no mercado de câmbio, causando aumentos nos preços. A moeda pode, então, ter um desempenho melhor se as taxas de juros forem elevadas (desde que a inflação não esteja elevada também, pois isso poderia potencialmente diminuir tais retornos), podendo até causar um impacto no comércio e na economia do país como um todo.

Trading de moedas no mercado Forex.

Preview

Esta imagem é apenas para fins ilustrativos e não deve ser considerada como aconselhamento financeiro. Lembre-se de que o desempenho passado não é indicativo de resultados futuros.

Prós e contras do trading de forex em tempos de alta inflação e taxas de juros

  • Prós: O mercado forex é o maior e mais líquido mercado do mundo e não é impactado negativamente por fatores como a inflação ou aumentos nas taxas de juros.
  • Prós: Na verdade, há mais lucros e perdas a serem obtidos no forex quando há volatilidade - e isso é comum durante períodos de alta inflação e taxas de juros.
  • Contras: Devido ao seu tamanho massivo, é possível acumular perdas significativas muito rapidamente. O forex também é geralmente negociado usando produtos alavancados, o que significa que suas perdas podem ser maiores do que o valor da margem que você pagou para abrir sua operação de forex.

Inflação e ações

A inflação e os aumentos nas taxas de juros afetam negativamente o mercado de ações, geralmente. Com maiores custos operacionais (inflação) e empréstimos e investimentos mais caros (taxas de juros mais altas), o crescimento dos negócios normalmente desacelera nesses momentos, afetando o preço das ações e o retorno para os acionistas. Isso levou as ações e o mercado de ações em geral a serem associados a períodos de crescimento econômico, não de desaceleração.

Investidores e traders, sabendo disso, muitas vezes concentram menos no mercado de ações e mais em classes de ativos tradicionalmente associadas a tempos incertos, como o ouro e títulos ligados ao governo.

No entanto, há algumas ações que ainda podem se sair bem durante períodos de alta e taxas de inflação elevadas. As ações de valor, conhecidas por retornos estáveis e confiáveis em todos os tipos de ambientes, são uma delas. Outra são as empresas que vendem itens de luxo menores aos quais os consumidores recorrem em tempos difíceis - algo chamado de 'o efeito batom'.

Preview

Esta imagem é apenas para fins ilustrativos e não deve ser considerada como aconselhamento financeiro. Lembre-se de que o desempenho passado não é indicativo de resultados futuros.

Prós e contras do trading de ações em tempos de alta inflação e taxas de juros

  • Contras: A inflação e as altas taxas de juros geralmente impactam negativamente muitos preços de ações e seus retornos.
  • Contras: Isso significa que as ações são menos populares entre investidores e traders durante períodos de alta inflação.
  • Prós: No entanto, certas empresas, como aquelas conhecidas por se beneficiar do 'efeito batom' e ações de valor, têm um bom desempenho durante períodos de alta inflação e taxas de juros.
  • Prós: Embora os investidores provavelmente tenham retornos reduzidos durante momentos inflacionários e com políticas monetárias rígidas, os traders ainda podem obter lucros em um ambiente negativo, desde que façam vendas a descoberto quando os preços das ações caírem e comprem quando os preços subirem. No entanto, se errarem em suas especulações e adivinharem a direção errada, terão prejuízos.
  • Contras: É importante lembrar que o mercado é imprevisível e os resultados passados das ações não garantem seu desempenho futuro.

Inflação e commodities

Os efeitos da inflação e das taxas de juros crescentes sobre as commodities dependerão, em certa medida, da commodity em questão. No entanto, em termos gerais, os preços das commodities permanecerão constantes se a demanda por elas permanecer inalterada. Como resultado, muitos investidores e traders consideram as commodities como uma proteção contra a inflação.

Se a inflação levar a um aumento nos custos de produção das commodities ou a uma escassez dessas commodities, os preços das commodities aumentarão. No entanto, geralmente ocorre o contrário: preços significativamente mais altos para commodities com demanda mais constante, como petróleo, grãos e gás, causarão um aumento na inflação. Um bom exemplo disso foi o aumento nos preços do gás e dos grãos em 2022, após a Rússia invadir a Ucrânia, o que causou inflação em todo o mundo.

Preview

Esta ilustração é apenas para fins de demonstração e não deve ser considerada como aconselhamento financeiro. Lembre-se de que o desempenho passado não é indicativo de resultados futuros.

Prós e contras das commodities em momentos de alta inflação e taxas de juros

  • Prós: As commodities, especialmente aquelas com demanda consistentemente alta, como o petróleo e o gás, tendem a ter um bom desempenho durante períodos de inflação e aumentos nas taxas de juros.
  • Contras: As commodities são afetadas por fatores imprevisíveis como padrões climáticos, política de países e desastres naturais, mais do que algumas outras classes de ativos, como ações, por exemplo.
  • Prós: Especular sobre os preços das commodities como trader, ao invés de investir, ainda pode gerar lucro (ou prejuízo) sem a necessidade de realmente possuí-las.
  • Contras: Assim como acontece com os preços das ações (e qualquer outro mercado, na verdade), o desempenho passado de uma commodity - mesmo em um ambiente muito semelhante - não é indicativo de resultados futuros.

Trading em commodities

Inflação e ouro

Embora tenhamos falado sobre commodities em geral, o ouro merece uma menção especial por causa da forma única como é afetado - ou não afetado - pelo aumento das taxas de juros e da inflação. O ouro é um metal precioso que está em constante demanda, devido aos seus diversos usos em joias finas, na indústria e como investimento. No entanto, seu suprimento é finito e muitas vezes limitado, o que significa que o preço do ouro é bastante constante, mesmo durante tempos difíceis.

Por essa razão, o ouro tem a reputação de ser um ativo seguro para investidores e traders, que frequentemente recorrem a ele durante momentos incertos de pressão econômica crescente. Isso significa que o preço do ouro muitas vezes realmente aumenta quando a inflação e as taxas de juros estão em alta.

Inflação e ouro

Embora tenhamos falado sobre commodities em geral, o ouro merece uma menção especial por causa da forma única como é afetado - ou não afetado - pelo aumento das taxas de juros e da inflação. O ouro é um metal precioso que está em constante demanda, devido aos seus diversos usos em joias finas, na indústria e como investimento. No entanto, seu suprimento é finito e muitas vezes limitado, o que significa que o preço do ouro é bastante constante, mesmo durante tempos difíceis.

Por essa razão, o ouro tem a reputação de ser um ativo seguro para investidores e traders, que frequentemente recorrem a ele durante momentos incertos de pressão econômica crescente. Isso significa que o preço do ouro muitas vezes realmente aumenta quando a inflação e as taxas de juros estão em alta.

Preview

Esta ilustração é apenas para fins ilustrativos e não deve ser considerada como aconselhamento financeiro. Lembre-se de que o desempenho passado não é indicativo de resultados futuros.

Prós e contras do ouro quando há alta inflação e taxas de juros

  • Prós: O ouro é conhecido como uma proteção contra a inflação, já que o metal precioso geralmente valoriza em momentos em que os consumidores estão pessimistas, o que é comum durante períodos inflacionários.
  • Contras: Investir em ouro pode ser um processo complexo, incluindo encontrar um local seguro para armazenar seu ouro e obter as permissões corretas. Sem mencionar que comprar ouro físico geralmente é muito caro.
  • Prós: Operar ouro, onde você especulará sobre o preço do ouro em vez de comprar ouro físico diretamente, combina os benefícios do ouro como um mercado durante períodos inflacionários, sem as complicações de possuir barras de ouro físicas ou moedas de ouro.

Inflação e índices

Certamente os índices são afetados pela inflação da mesma forma que as ações, afinal, um índice não passa de uma coleção de ações, correto? Não exatamente. Enquanto "ações" é o termo coletivo geral para qualquer empresa negociada publicamente, um índice consiste em uma determinada cesta de ações, organizadas de forma específica (por exemplo, ponderadas da maior para a menor por capitalização de mercado). Esse índice de ações terá um certo tema, por falta de uma palavra melhor, como "maiores empresas do Reino Unido" (o FTSE 100), "ações de pequena e média capitalização dos EUA" (o Russell 2000) ou "volatilidade no mercado" (o VIX).

Como tal, isso significa que a alta inflação e as taxas de juros afetarão os índices de forma diferente. Por exemplo, as pressões de custo decorrentes da alta inflação podem impactar o índice Russell 2000, composto por empresas menores e de médio porte, mais do que as grandes ações do poderoso índice Dow Jones. E ambientes com taxas de juros e inflação mais altas, que frequentemente veem menos investimento em ações de tecnologia, podem impactar ainda mais o índice S&P 500, por exemplo, que é conhecido por incluir muitas ações de tecnologia proeminentes.

Preview

Esta ilustração é apenas para fins ilustrativos e não deve ser considerada como aconselhamento financeiro. Lembre-se de que o desempenho passado não é indicativo de resultados futuros.

Prós e contras do trading de índices em períodos de alta inflação e taxas de juros elevadas

  • Contras: Especificamente, aumentos nas taxas de juros têm mostrado ter um efeito negativo no desempenho dos índices em curto prazo.
  • Prós: No entanto, devido à sua natureza diversificada, os índices têm se mostrado, em média, capazes de superar a inflação e as altas nas taxas de juros no longo prazo.

Negocie em um índice.

Inflação e criptomoedas

As criptomoedas são a classe de ativos mais recente em nossa lista, sendo que o Bitcoin existe desde 2009. No entanto, economistas e traders têm conseguido discernir tendências significativas na forma como as criptomoedas respondem à inflação e às taxas de juros desde então.

As criptomoedas são mineradas e distribuídas de forma única e não são regulamentadas por banqueiros centrais e suas políticas monetárias, nem por países e regiões que monitoram quantas moedas estão em circulação - fatores de oferta e demanda que afetam a inflação e o nível de juros de todo o mercado. Em vez disso, as criptomoedas têm duas maneiras de serem mineradas e produzidas: inflacionária e deflacionária. Enquanto as criptomoedas inflacionárias introduzem mais moedas ao longo do tempo, as deflacionárias geram menos moedas ao longo do tempo. Isso acarreta suas próprias consequências de oferta e demanda e, dessa forma, as moedas inflacionárias (como o Bitcoin, a maior criptomoeda do mundo) experimentarão sua própria forma única de inflação.

No entanto, as criptomoedas também são afetadas pela inflação tradicional e pelos aumentos das taxas de juros. Por quê?

Assim como o câmbio de moedas acontece em pares, todas as outras classes de ativos são afetadas pelo que são negociadas e trocadas em relação. A maioria das criptomoedas mais proeminentes do mundo, como Bitcoin, Ethereum e Dogecoin, são compradas e resgatadas em relação ao dólar americano. Portanto, mesmo que seu valor não esteja diretamente ligado ao USD, eles serão diretamente influenciados pelo desempenho do dólar. De fato, os retornos gerais do mercado nos últimos anos mostraram que grandes moedas como Bitcoin e Ethereum são afetadas negativamente pelas taxas de juros e pela inflação, assim como os mercados de ações.

Há até algumas criptomoedas cujas avaliações estão diretamente vinculadas a uma moeda, como o dólar americano, assim como outras classes de ativos como ouro ou petróleo. Estas são conhecidas como 'stablecoins' e serão diretamente afetadas pela inflação e pelos aumentos das taxas de juros da mesma forma que o dinheiro em espécie.

Cependant, les cryptomonnaies sont également impactées par l'inflation traditionnelle et les hausses des taux d'intérêt. Pourquoi ?

Tout comme les devises s'échangent par paires, toutes les autres classes d'actifs sont influencées par ce contre quoi elles sont négociées et échangées. La plupart des cryptomonnaies les plus importantes au monde, telles que le Bitcoin, l'Ethereum et le Dogecoin, sont achetées et échangées par rapport au dollar américain. Ainsi, bien que leur valeur ne soit pas directement liée au dollar américain, elles seront directement influencées par la performance du dollar. En fait, les rendements globaux du marché au cours des dernières années ont montré que les grandes cryptomonnaies comme le Bitcoin et l'Ethereum sont négativement affectées par les taux d'intérêt et l'inflation, tout comme les marchés boursiers.

Il existe même certaines cryptomonnaies dont les évaluations sont directement liées à une monnaie, comme par exemple le dollar américain, tout comme d'autres classes d'actifs comme l'or ou le pétrole. On les appelle des "stablecoins", et elles seront directement impactées par l'inflation et les hausses des taux d'intérêt de la même manière que l'argent liquide.

Preview

Prós e contras das criptomoedas em tempos de alta inflação e taxas de juros

Contras: O Bitcoin e muitas outras criptomoedas mais antigas têm apresentado desempenho inferior em tempos de altas taxas de juros e inflação, semelhante às ações.

Prós: Como uma classe de ativos "alternativa" não controlada por bancos centrais ou vinculada a uma moeda formal, elas podem experimentar um aumento breve e nominal em popularidade durante períodos inflacionários, de postura restritiva ou pessimistas, já que os investidores buscam proteção contra a inflação - mesmo que a eficácia das criptomoedas como proteção contra a inflação ainda não tenha sido comprovada.

Negocie com criptomoedas.

The material provided here has not been prepared in accordance with legal requirements designed to promote the independence of investment research and as such is considered to be a marketing communication. Whilst it is not subject to any prohibition on dealing ahead of the dissemination of investment research we will not seek to take any advantage before providing it to our clients.

Pepperstone doesn’t represent that the material provided here is accurate, current or complete, and therefore shouldn’t be relied upon as such. The information, whether from a third party or not, isn’t to be considered as a recommendation; or an offer to buy or sell; or the solicitation of an offer to buy or sell any security, financial product or instrument; or to participate in any particular trading strategy. It does not take into account readers’ financial situation or investment objectives. We advise any readers of this content to seek their own advice. Without the approval of Pepperstone, reproduction or redistribution of this information isn’t permitted.