Os CFDs são instrumentos complexos e apresentam um alto risco de perda rápida de dinheiro devido à alavancagem. 81.7% das contas de investidores de varejo perdem dinheiro ao negociar CFDs com esse provedor. Você deve considerar se entende como os CFDs funcionam e que pode correr o alto risco de perder seu dinheiro.
Beginner

Negociação de outros instrumentos

Oferecemos uma vasta gama de energia, matérias-primas leves e metais preciosos, cada um com diferentes requisitos mínimos de transação e margem, spreads e tamanhos de contrato. Existem também diferentes tempos de sessão, pelo que é importante compreendê-los quando começar a negociar mercadorias.

Os produtos de base são os alicerces da economia global. São as matérias-primas para milhões de produtos fabricados em todo o mundo. Os mercados de mercadorias e as suas cadeias de fornecimento criam mercados altamente activos que apresentam muitas oportunidades para os investidores.

Vejamos o papel das mercadorias e como as podemos negociar.

Podemos definir uma mercadoria como uma matéria-prima ou produto primário que se compra e vende livrementee também usamos a palavra para implicar que algo é facilmente disponível e sem marca.

Efeitos do dólar americano

O dólar americano é a moeda de reserva mundial e a moeda nativa da nossa maior economia. Consequentemente, a maioria das mercadorias são cotadas e transaccionadas em dólares americanos. Historicamente, um dólar forte tem deprimido o preço das mercadorias, enquanto um dólar mais fraco resulta frequentemente numa subida dos preços das mercadorias. Podemos ver esta relação no gráfico abaixo, que traça o índice do dólar americano ou do dólar ponderado pelo comércio em relação ao índice CRB (acompanha um cabaz de produtos de base muito utilizados).

chart-trade-weighted-usd.png

À medida que o dólar, desenhado a verde, se valorizou, o cabaz de produtos de base, a linha azul, desvalorizou-se.

Outros factores determinantes dos preços dos produtos de base.

Mercados emergentes

Muitos dos maiores depósitos ou áreas de crescimento de matérias-primas encontram-se nos mercados em desenvolvimento ou emergentes. Países como o Brasil, o Chile, a Nigéria, a África do Sul e a Arábia Saudita são exemplos de regiões que desempenham um papel importante na sua oferta. O preço e o nível de procura das suas matérias-primas influenciam diretamente o desempenho das economias locais e das suas moedas.

Oferta e procura

O equilíbrio entre a oferta e a procura é a maior influência nos preços dos produtos de base. Quando os fornecimentos são abundantes e estão a aumentar, os preços normalmente descem até atraírem nova procura para o mercado. Quando a procura é elevada e não pode ser satisfeita pela oferta existente, os preços dos produtos de base aumentam até ao momento em que são atraídos novos fornecimentos para o mercado. Ao contrário dos produtos financeiros, os novos fornecimentos de matérias-primas podem não estar disponíveis imediatamente e o prazo para a sua produção e transmissão pode estender-se por muitos meses. Isto significa que os preços dos produtos de base podem sofrer grandes movimentos de preços de tempos a tempos.

Suspensão da produção

Muitas mercadorias são extraídas da terra, um processo que depende de grandes forças de trabalho. As empresas mineiras tentam manter os seus custos de extração tão baixos quanto possível, e manter os salários baixos é uma forma de o fazer. Os empregadores e os sindicatos nem sempre estão de acordo, e esta discordância pode levar a agitação laboral, greves e paragens de produção. Os preços de metais como o cobre, a platina e o paládio são todos sensíveis à agitação laboral e a possíveis interrupções no fornecimento.

Sazonalidade

Os produtos agrícolas estão frequentemente sujeitos a sazonalidade. As culturas são cultivadas e colhidas num ciclo específico, havendo períodos do ano em que são excedentárias e outros em que são relativamente escassas. No entanto, também existem factores sazonais nos produtos de base não agrícolas, como o ouro, que regista um aumento da procura por parte dos compradores na Índia e na China durante os feriados importantes e a época dos casamentos.

Clima

Intimamente relacionado com a sazonalidade, o clima pode afetar os preços dos produtos de base. Estes efeitos estão normalmente associados a géneros alimentícios e produtos agrícolas. Por exemplo, se houver uma geada na Flórida, pode reduzir o tamanho da colheita de laranja e aumentar o preço do sumo de laranja. A seca, os ventos fortes, a chuva excessiva, as inundações e a peste podem danificar uma cultura ou uma colheita, limitando a oferta e fazendo subir os preços. Os padrões climáticos também podem ser benéficos, conduzindo a colheitas abundantes e a um excesso de oferta de um produto, o que pode fazer baixar os preços, uma vez que os compradores não são incentivados a pagar mais por esse produto.

Excesso de procura

De tempos a tempos, a procura ou a procura prevista de uma determinada mercadoria pode ultrapassar rapidamente a oferta disponível. Por exemplo, os preços do gás natural nos EUA podem aumentar se as temperaturas descerem, ou se se prevê que desçam abaixo das normas sazonais nos EUA. Se tal acontecer, as empresas de energia tentam assegurar o abastecimento de gás e encontram-se em concorrência com os seus rivais, bem como com outros operadores e especuladores, que são atraídos para o mercado pela dinâmica de subida dos preços. Isto pode fazer com que os preços sejam espremidos para cima.

Vimos esse tipo de pico em novembro de 2018 no gráfico de gás natural abaixo. O pico teve uma duração relativamente curta e foi-se desvanecendo no início de dezembro.

chart-natural-gas.png

No entanto, a evolução dos preços mostra que, mesmo num mercado tão líquido como o do gás natural, uma interrupção da oferta ou uma expetativa de procura excessiva podem afetar os preços das matérias-primas. Os mercados da energia estão também ligados à geopolítica, de que são exemplo as sanções dos EUA contra o Irão e a Rússia, que visam diretamente a sua capacidade de exportar petróleo e outros bens, enquanto organismos comerciais como a OPEP tentam frequentemente restringir a produção a níveis previamente acordados.

Grandes economias

Durante os últimos trinta anos, as economias mundiais globalizaram-se. Muitas economias desenvolvidas orientaram-se para os serviços e afastaram-se da indústria transformadora, grande parte da qual foi deslocalizada para os centros de baixo custo da Ásia. O beneficiário desta tendência global foi a China, que rapidamente se tornou o maior importador de produtos de base do mundo. As tendências da economia chinesa têm uma influência crescente nos preços dos produtos de base.

De acordo com os dados do Atlas da Complexidade Económica de Harvard, a China importou 49,3 mil milhões de dólares de minério de ferro, 19,7 mil milhões de dólares de minérios de cobre e 109 mil milhões de dólares de petróleo bruto e produtos petrolíferos em 2016. Estes são apenas três exemplos que mostram a escala da procura de matérias-primas na economia chinesa.

graph-commodities-china.png

As expectativas de crescimento da China e da sua economia têm uma influência direta nas perspectivas de muitos preços das matérias-primas. No momento em que escrevo, essas expectativas estão a baixar, como se pode ver no gráfico acima do crescimento do PIB da China.

O que precisa de saber antes de negociar mercadorias

Para negociar materia-prima com êxito, precisamos de conhecer os mercados subjacentes, descobrir quem são os grandes produtores e quem são os grandes consumidores de uma determinada mercadoria e compreender como é que essas mercadorias vão de A para B.

Por exemplo, o cobre está associado à construção e à eletrónica e o açúcar à confeitaria e à indústria alimentar.

Não se esqueça de que os produtos de base tendem a seguir uma tendência. Quando essas tendências se quebram, os preços dos produtos de base podem sofrer fortes reversões. É importante estar atento a qualquer ação de preço e fluxo de notícias que sugira que uma mudança pode estar a caminho e ser sensato com o uso de stop losses e gestão de dinheiro em torno das suas posições abertas.

Como negociar ouro

O ouro não é apenas uma mercadoria, é uma reserva de riqueza e uma forma de dinheiro em si mesmo. O ouro é escasso e o seu valor é amplamente reconhecido em todo o mundo. É esta escassez e valor global que os investidores compram em tempos de crise económica e política, ou quando vêem ameaças ao valor do papel-moeda devido à inflação ou à impressão de moeda.

Não são apenas os comerciantes e investidores individuais que possuem ouro. Muitos dos bancos centrais do mundo detêm milhares de toneladas métricas de ouro. Os bancos centrais utilizam o ouro como reserva de valor e como forma de dinheiro para diversificar as suas reservas estratégicas, afastando-as das moedas internacionais, porque o ouro é frequentemente considerado como não estando correlacionado com muitas outras classes de activos.

O ouro é extraído da terra e, como tal, é transaccionado como uma mercadoria. Como a maioria das mercadorias, o seu preço é fixado em dólares americanos e, devido à sua escassez, o ouro é transaccionado nas chamadas onças troy, o equivalente a 31,21 gramas. Um quilo de ouro representa um pouco mais de 32 onças troy.

Vários factores influenciam o preço do ouro, incluindo:

  • O dólar americano - Historicamente, um dólar americano forte tem deprimido o preço do ouro, ao passo que um dólar americano mais fraco tem frequentemente significado um aumento dos preços do ouro.
  • Economic, political and financial factors - Beyond its relationship with the US currency, gold prices are influenced by economic downturns, political crisis, war and trade tensions, as well as the levels of, and trends in global inflation.
  • Perspectivas voláteis - Como regra geral, quanto mais voláteis forem as perspectivas geopolíticas ou económicas, mais elevado será o preço do ouro. Quando os mercados estão calmos, as principais economias têm um bom desempenho e existem poucas tensões internacionais, o preço do ouro tende a descer.
  • Oferta e procura - Os preços do ouro também são influenciados pela oferta e pela procura. Os fornecimentos são limitados e a procura flutua frequentemente em torno da compra de ouro pelos indianos e chineses como prendas, durante as épocas de casamentos e férias.
  • Produção - As greves e as paragens na produção em países como a Austrália e a África do Sul também podem fazer subir os preços do ouro.
  • Procura relacionada com a indústria - Há também um número crescente de utilizações do ouro na indústria, frequentemente na eletrónica de alta tecnologia e na medicina.

O preço do ouro é impulsionado por uma grande variedade de factores, muitos deles independentes uns dos outros, como tal, o preço do ouro raramente é estático, o que o torna um instrumento ideal para os comerciantes. Está a pensar em adicionar ouro à sua carteira de negociação? Saiba mais.

Pronto para operar?

É rápido e fácil começar. Abra conta em minutos com nosso processo de aplicação simples.